O papel do Blockchain na nova era da Web

A Web está evoluindo novamente. Estamos nos aproximando de sua versão 3.0, que corresponde ao estágio voltado para as novas tecnologias de rede descentralizada.

A Web 3.0 criará novas oportunidades para startups e o bem-estar das pessoas ou, possivelmente, contribuindo para o surgimento de novos negócios e empregos.

No entanto, caso todo o poderio tecnológico da Web 3.0 seja explorado apenas pelo topo da pirâmide, corremos o risco das 9 maiores Bigtechs passarem a controlar grande parte do destino da humanidade, por dominarem a Inteligência Artificial e demais tecnologias. Assim, em seu lado mais obscuro, a Web de terceira geração poderia contribuir para a redução da concorrência e dos empregos, fortalecendo monopólios e grandes corporações.

Todavia, antes de analisarmos a fundo a Web 3.0 e seu ecossistema, precisamos fazer um resumo sobre Web 1.0 e Web 2.0 a fim de entendermos o processo evolutivo da Web.

Uma imagem contendo texto, mapa

Descrição gerada automaticamente

Basicamente, a web é uma rede de interconexão de sistemas, servidores e usuários.

Web 1.0

A web 1.0 é composta por sites estáticos que foram criados em HTML. Não havia muitos aplicativos nem interatividade na web na Internet.

O ápice da interatividade, na Web de primeira geração, era representado pelo MSN messenger e pelas salas de bate-papo da AOL.

Web 2.0

A Web 2.0 representou uma grande evolução em relação à geração anterior, que teve como principais balizadores as interfaces interativas e a explosão do conteúdo multimídia.

A web 2.0 também viu o surgimento de várias plataformas populares de rede social e consumo de conteúdo, tais como Wikipedia, YouTube, Flickr, Orkut e Facebook. Criou-se comunidades de pessoas com ideias afins, facilitando o compartilhar informações de interesse comum.

O sucesso da Web de segunda geração catapultou sua audiência, que passou de 738 milhões de usuários de Internet para 3,2 bilhões.

Web 3.0

A Web de terceira geração possibilita que dispositivos (coisas) se conectem à Internet, por meio de uma rede descentralizada ao invés de depender de servidores baseados em bancos de dados.

A Web 3.0 leva a experiência na Web um passo à frente, concentrando-se em aspectos humanos, caso tenha sucesso, ela estará mais inclinada para a privacidade e contra o controle de grandes organizações.

A Web 3.0 tem tudo a ver com uma rede mais transparente e justa, na qual todos podem participar sem temer uma perda de privacidade e segurança. A mudança da Web 2.0 para a 3.0 é evidente com a evolução da tecnologia ao nosso redor. Tecnologias como blockchain, inteligência artificial, big data e outros facilitarão o fornecimento de mais experiência pessoal na web do que nunca. Além disso, os aplicativos da web serão mais intuitivos e tornarão mais acessíveis para as pessoas usá-lo em suas vidas diárias.

Benefícios da Web 3.0

Antimonopólio e Pró-Privacidade

A Web 3.0 agrega uma estrutura pró-privacidade e antimonopólio à Internet, desincentivando a proliferação e crescimento de plataformas centralizadas. Por exemplo, algumas plataformas de bigtechs podem ver uma diminuição em sua popularidade devido às novas entidades no espaço que fornecem serviços semelhantes, porém com uma abordagem descentralizada.

Em suma, veremos uma reviravolta completa, em que o tema central será a privacidade e a descentralização. Esse movimento será facilitado com a ajuda de Blockchains, que poderão diminuir o controle sobre a rede e os dados do usuário por parte das grandes corporações. Os governos, por outro lado, também perceberão descentralização similar. 

Rede Segura

A Web 3.0 será muito mais segura que seus predecessores e isso será possível por dois motivos, incluindo natureza distribuída e descentralização, o que tornará mais difícil a invasão pelos hackers por não haver mais um ponto único de falha ou vulnerabilidade. Além disso, se eles puderem fazer isso, cada uma das suas operações poderá ser rastreada e recolhida dentro da rede, por meio dos Blockchains.

A descentralização também dificulta que hackers assumam o controle total de uma organização.

Propriedade de Dados e a Identidade Digital Auto-Soberana

Até agora, os dados gerados pelos usuários eram armazenados e utilizados por grandes corporações. Com a Web 3.0, os usuários finais terão propriedade total sobre seus dados e sua identidade digital.

Na Web 3.0, os dados transferidos pela rede serão completamente criptografados. Além disso, os usuários poderão decidir quais informações desejam compartilhar com corporações ou plataformas de publicidade de terceiros. O que se antagoniza com a tendência atual, onde grandes organizações e redes sociais armazenam dados de usuários de várias maneiras, incluindo renda, interesses, hábitos alimentares e assim por diante.

Com a Web 3.0, os usuários agora podem inclusive monetizar seus dados, vendendo-os para as corporações.

Interoperabilidade

A interoperabilidade é um dos principais recursos da Web 3.0. Com uma rede descentralizada, será fácil para os aplicativos funcionarem em diferentes dispositivos e plataformas, como TVs, smartphones, cidades inteligentes e assim por diante.

Serviços Ininterruptos

Sistemas distribuídos são menos propensos a interrupção de serviço. Como não existe uma entidade central para o funcionamento, torna-se difícil que ataque de Negação de Serviço Distribuída (DDoS) ou outras formas de tentativas de mau funcionamento de serviço tenham impacto. Isso torna o Web 3.0 um ótimo lugar para compartilhar dados e serviços críticos sem se preocupar com a interrupção do serviço.

Democratização do Blockchain

A ideia por trás da Web 3.0 é produzir blockchains que não precisem de uma autoridade central. Isso significa que qualquer um pode participar do blockchain e participar criando um endereço. Blockchains flexíveis irão abrir um novo leque de possibilidades, incluindo o acesso a pessoas que são precocemente discriminadas devido ao seu sexo, renda, país de origem e assim por diante.

Web Semântica

A Web 3.0 também hospedará as propriedades de uma web semântica. A web semântica é uma melhoria em relação ao último conjunto de tecnologias que são usadas para a Web 2.0, e ela permite que os dados sejam compartilhados entre vários sistemas, plataformas e limites da comunidade atuando como uma ponte entre diferentes formatos de dados e plataforma.

Ao utilizar a web semântica, poderemos nos conectar melhor, compartilhar e aproveitar a Internet como nunca antes.

Ubiquidade

A ubiquidade é o resultado da interoperabilidade ilimitada. Com a Web 3.0, podemos acessar dados e informações em vários aplicativos sem a necessidade de um dispositivo específico. Isso significa que você não precisa se preocupar em obter um determinado dispositivo para obter acesso à Web 3.0. Se um dispositivo tiver funcionalidade básica de Internet e conectividade, você poderá acessar a web.

Finalmente, fica claro que a Web 3.0 irá transformar de forma singular nossa sociedade, pois estaremos conectados por meio de um conjunto melhor de tecnologias, como inteligência artificial, blockchain e muito mais!

Sem Comentários

Postar um Comentário

Comentário
Nome
Email
Site